2 de ago de 2008

Um pouco sobre a aromaterapia

O termo “aromaterapia” foi usado pela primeira vez pelo químico francês René-Maurice Gatefossé que, acidentalmente, descobriu as propriedades terapêuticas dos óleos essenciais. Em 1928, Gatefossé estava trabalhando numa experiência, quando queimou gravemente uma das mãos. Na tentativa de aliviar a dor, ele lavou a queimadura com óleo essencial de lavanda. O líquido, além de trazer alívio, acelerou o processo de cicatrização da pele e evitou uma possível infecção. Fascinado com esse fato, ele começou a pesquisar as propriedades terapêuticas dos óleos.
Mas, o poder dos óleos essenciais já era do conhecimento de povos antigos, especialmente dos egípcios, que aparecem na história como a civilização que mais se dedicou a aplicar as propriedades das plantas aromáticas e desenvolver métodos eficazes para a extração dos óleos. Os egípcios eram mestres na aplicação dos óleos essenciais para cuidar da saúde e da beleza do corpo, mas não era só: eles também usavam essas substâncias em rituais religiosos e até para embalsamar os mortos. Todo esse conhecimento foi absorvido pelo povo grego e, com tempo, espalhou-se pela Europa Ocidental, no tempo das Cruzadas, na Idade Média.


A Aromaterapia consiste em tratar as doenças com a ajuda de óleos extremamente concentrados extraídos dos vegetais. Esses extratos chamados essências ou óleos essenciais contêm as substâncias que dão perfume às plantas e, por isso, seu odor é a característica principal.
Os óleos essenciais são produzidos por minúsculas glândulas presentes nas pétalas, no caule, na casca e na madeira de numerosas plantas e árvores. Se, na natureza essas glândulas liberam os aromas das plantas de forma progressiva, quando aquecidas ou trituradas, elas explodem e liberam os odores com uma potência muito maior.
Para extrair o óleo essencial puro, recorre-se a um processo de destilação no vapor d’água. Se a essência é dissolvida no álcool ou em outro solvente, denomina-se essência absoluta. São menos puras que os óleos, porém conservam propriedades curativas interessantes.
Os usos dos óleos essenciais são múltiplos, mas eles são mais utilizados na unção da pele (massagem), podendo também ser inalados ou colocados na água de banho ou em compressas. Raramente são ingeridos. Certamente são mais eficazes quando inalados, pois provocam uma ação imediata no cérebro.
Não se deve pensar que a Aromaterapia não apresenta contra-indicações. Devem ser utilizados com precaução, pois podem causar irritação e alergia na pele.
Os aromaterapeutas utilizam cerca de 30 plantas e flores para tratar a maior parte dos problemas.
Os óleos essenciais são divididos em três categorias: os que tonificam o organismo e favorecem o bom humor; os que estimulam e regulam as principais funções do corpo; e os que têm um efeito calmante sobre o corpo e o espírito.
Alguns exemplos:
Óleo de Camomila – refrescante. Indicado para dores de cabeça e depressão;
Óleo de Cânfora – refrescante e estimulante. Indicado em resfriados, reumatismos, acne, insônia;
Óleo de Cedro – sedativo. Usado para angústia, bronquite e tosse;
Óleo de Limão – refrescante e estimulante. Para problemas circulatórios, hipertensão e acne;
Óleo de Eucalipto – libera a cabeça. Indicado para edemas e dores musculares;
Óleo de Gerânio – refrescante e antiespasmódico. Para problemas urinários e infecções virais;
Óleo de Jasmim – relaxante e calmante. Serve para tratar apatia e pele seca;
Óleo de Manjerona – fortificante. Indicado em enxaquecas, cólicas e equimoses;
Óleo de Patchouli – relaxante. Indicado na depressão e pele seca.
Óleo de Pimenta Cinza – estimulante. Usado em problemas digestivos, resfriados e diarréia;

Os óleos essenciais possuem propriedades anti-sépticas reconhecidas, como as da Lavanda e do Gerânio, que são eficazes contra infecções causadas por bactérias, vírus e fungos. São também apreciados pelas propriedades desintoxicantes do limão, alho, eucalipto e pelos efeitos calmantes junta à sensação de bem estar e harmonia que parecem produzir um efeito preventivo sobre as doenças.


Quem quizer saber um pouco mais a respeito da aromaterapia, veja este link:
http://aromalandia.com.br/historia.htm

Nenhum comentário: