20 de ago de 2008

Um pouco mais sobre a síndrome do pânico

A Síndrome do Pânico ocorre geralmente quando há uma descarga de substâncias que existe no sistema nervoso, e que em situações de estresse são produzidas em excesso, desencadeando sintomas físicos que por sua vez desencadeiam o medo.
Existe uma faixa etária predominante de 20 à 40 anos de ambos os sexos que desenvolvem a síndrome com maior frequência.
A Síndrome do Pânico é o conjunto de respostas físicas e emocionais à conteúdos internos que você não esclareceu ou simplesmente tem dúvida. Dessa forma, nos momentos de estresse, o indivíduo fica desequilibrado emocionalmente, dando espaço ao seu subconsciente. Por isso, mesmo que a pessoa não queira sentir os sintomas acaba sentindo, pois o impulso é inconsciente.
É comum a pessoa sentir que está em outro lugar, fora de si, com formigamentos, entre outros sintomas. Realmente, a pessoa não está ali.
Possuímos diversos veículos de manifestação além do corpo físico (corpo energético, emocional e mental). Essa sensação desagradável é do seu corpo emocional manifestado no corpo físico.

Sintomas Comuns
• Taquicardia;
• Sudorese;
• Falta de ar;
• Tremor;
• Fraqueza nas pernas;
• Ondas de calor e frio;
• Tontura;
• Pensamentos negativos;
• Medo de sentir medo;
• Dor ou desconforto torácico;
• Descentralização ou sensação de irrealidade;
• Entre outros.
Ao sentir os sintomas a pessoa passa a ter medo de sentí-los novamente, sendo que o medo enfraquece ainda mais a consciência do indivíduo.
É comum a pessoa evitar lugares e situações específicas, justamente para não sentir os sintomas.
Também podem surgir pensamentos depressivos tais como: "Sou estranho(a).", "Será que estou ficando louco?". Tais pensamentos podem colaborar ainda mais para sentimentos desagradáveis como: angústia, complexo de inferioridade, baixa auto estima, tristeza etc.

Tratamento
Existem tratamentos através de remédios que tem como objetivo eliminar os sintomas.
Como a Síndrome do Pânico não se limita só aos sintomas, aconselhamos a pessoa a procurar uma Terapia Transpessoal, onde é trabalhado a expansão da consciência e regressão de memória, justamente para resgatar a parte inconsciente que gera os sintomas.
O melhor tratamento é a Consciência. Quando enfrentamos de frente o que nos prende, passamos a desmascarar todo e qualquer tipo de impulso indesejado. Portanto, não adianta continuar sustentando a máscara, pois uma hora ou outra ela pode sufocar você.



Como a medicina tradicional chinesa trata uma pessoa que sofre da síndrome do pânico?

A Medicina Tradicional Chinesa tem uma visão toda sua do ser humano. Nenhum ser humano existe sem ser detentor de três tesouros: Jing, Qi e Shen.Esses três tesouros são importantíssimos para a vida física, emocional e psíquica. Desequilíbrios energéticos em um ou mais desses tesouros não raro são a causa de distúrbios psico-emocionais. A síndrome do pânico tem tratamento em MTC. O desafio do terapeuta é identificar que estruturas energéticas e/ou orgânicas acham-se implicadas num dado caso.Como você já deve saber, a MTC não trata doenças; ela trata indivíduos e seus desequilíbrios ditos energéticos. É também por isso que pacientes de síndrome do pânico ou outros distúrbios podem, e deveriam, ser acompanhados também por um profissional competente das correntes ocidentais de medicina (um psiquiatra, por exemplo).Entre as possíveis causas da síndrome do pânico (e repito: cada caso é um caso) acham-se:
Deficiência do Jing dos Rins
Deficiência de Qi e de Sangue
Deficiência do Qi do Fígado e da Vesícula Biliar
Deficiência do Qi do Coração e da Vesícula Biliar
Fogo do Coração
Sobrecarga do Fígado
Essas seis possibilidades não são limitativas. Um paciente pode apresentar uma ou mais dessas ou ainda outras síndromes, isoladamente ou em conjunto. Uma vez identificadas as causas, o terapeuta pode elaborar uma estratégia terapêutica em acupuntura e/ou auriculoterapia.

Nenhum comentário: